Como publicar um livro?

postado em: Inspiração | 0

“Muitas pessoas já me perguntaram algo assim: como faço para publicar meu livro????


A resposta que vem imediatamente na minha cabeça é “não faz”… Claro que é uma visão pessimista. Mas escrever e publicar livros é o sonho de mais gente do que supomos. Por causa disso, resolvi escrever esse post para contar duas coisas interessantes a respeito desse mundo mágico de publicação de livros. A primeira delas é O que não funciona, a segunda é O que pode funcionar…


O que não funciona


Serei simples e breve, não funciona escrever um livro e mandar para as editoras. Não no Brasil… A maioria das editoras aqui são importadoras disfarçadas. Elas esperam o livro fazer sucesso lá fora, traduzem e colocam em nosso mercado. Simples assim.

Reparem que estamos falando de romances, OK? Não me refiro a auto-ajuda ou outro tipo de livro escrito por publicitários, jornalistas, modelos que engravidam de jogadores de futebol, youtubers, universitárias que viram notícia por causa da mini-saia ou atores da Globo, porque esses têm entrada franca na maioria das editoras.

Resumindo. Por melhor que seja seu livro e por mais que seus amigos o elogiem, não gaste tempo ou dinheiro enviando papeis e papeis para uma editora. Isso não funciona assim.

Sabe aquela história de “contratamos estagiário recém formado com experiência de 10 anos”? É o que as editoras esperam dos autores.

O que pode funcionar


Esse procedimento precisa ser dividido em 3 partes. Uma vez seguidas, você certamente verá seu livro em algumas livrarias. Nada garante o sucesso de sua obra, mas já é um orgulho ver o seu livro exposto por aí.

Parte 1: Escreva


Escrever não é fácil, especialmente em português. Nossa língua tem mais exceções do que regras, o que a torna complexa. Porém, escrever um livro exige que o autor saiba, no mínimo, diferenciar onde se deve colocar uma vírgula ou um ponto final. Vejo universitários confundindo um e outro. E não há outra maneira de fazer isso além de ler muito e escrever MUITO, SEMPRE.

Se for seu primeiro livro, convença-se de uma verdade dura, cruel, mas verdadeira: seu livro ESTÁ uma porcaria! Ninguém escreve bem de primeira. É natural ser perfeccionista quando se está escrevendo um livro, pois não queremos que seja publicado se estiver faltando alguma coisa ou algo poderia ter escrito de maneira diferente. Sempre pode ser melhorado!

Uma vez que você domina o básico, é preciso ser criativo naquilo que escrever. Ser criativo significa criar algo novo ou subverter algo que já exista, só nunca copie os livros da moda! Repense sua criatividade e crie o seu próprio mundo na história. Depois de escrever, imprima e leia com muita calma. Você vai descobrir erros que já não enxergava na tela do computador. Aproveite para pensar seriamente em reescrever tudo, mas dessa vez de uma forma que outra pessoa além de você saiba o que o texto está querendo dizer.

Depois de finalizada essa etapa de escrita, registre seu livro na Biblioteca Nacional. Entre no site da BN e veja como se faz isso.

Parte 2: Edite


Editar um livro não é o mesmo que publicá-lo. Editar é transformar o arquivo de computador em um apanhado de folhas de papel unidas, formatadas e organizadas, também conhecido com o nome de livro. Desse ponto em diante você vai precisar de uma coisa fundamental: dinheiro. Sem isso não há como prosseguir viagem.

Existem milhares de gráficas e pequenas editoras que vão adorar saber que você tem o sonho de editar seu livro. E elas não estão nem aí se a obra tem ou não qualidade literária ou se você escreveu “nóis foi” e “nóis vai”. O que importa para elas é que você compre seus serviços e pague em dia as prestações.

Você tem que descobrir qual oferece os melhores preços sem deixar de lado a qualidade. Isso é simples porque todas oferecem orçamento sem compromisso. Para tanto, é necessário que você forneça algumas informações importantíssimas a eles: número de páginas da obra, se tem desenhos coloridos dentro, e a tiragem, ou seja, o número de exemplares que você quer imprimir. Desenhos coloridos aumentam bastante o valor de cada unidade. Desenhos branco e preto não alteram em nada esse valor.

O número de páginas da obra também interfere. Quanto mais páginas, mais caro. Porém, tenho uma notícia para vocês: o número de páginas que seu livro tem no Word não tem NADA a ver com o número de páginas que ele terá no livro… Isso vai depender do tamanho das letras, do espaçamento entre as linhas e do formato do livro. Você apenas terá certeza do número final de páginas após um processo chamado diagramação, que é feito por um profissional que tem um software específico.

Quanto maior a tiragem, menor o preço de cada exemplar. Se você pensa em imprimir apenas 100 exemplares, prepare o bolso. Cada um deles vai custar tanto quanto se paga em uma livraria. Se forem mil ou 2 mil, o custo por exemplar cai bastante.

Entre a diagramação, a criação de capa, a impressão e a entrega dos exemplares, você vai desembolsar algo entre R$ 5 e R$ 20 por exemplar.

Parte 3: Publique


Publicar um livro significa torná-lo público. Se você editou e imprimiu seus livros, mas os guardou no porão de casa, você não os publicou. É aqui que está o pulo do gato. Pouca gente sabe, mas as grandes livrarias têm um sistema de ajuda ao escritor independente. Entre em contato com uma dessas livrarias por meio do site oficial e pergunte se você pode oferecer seu livro. Eles vão te atender muito bem. Vão pedir para analisar seu trabalho e perguntar se a sua obra tem a coisa mais importante de todas para um livro: o ISBN.

  • O ISBN é um tipo de RG dos livros. Sem esse número, seu livro NÃO EXISTE na história da humanidade… Na etapa 2, você deve exigir na gráfica/editora que seja feito o ISBN da obra. Ele vem impresso na capa de trás. Quem confere esse número no Brasil é a Câmara Brasileira do Livro, mas não precisa se estressar correndo atrás disso. Basta pagar para alguém fazer. Não é caro. Sem ele, você não tem entrada em livrarias.
  • Como você é um escritor ou escritora esperto, vai responder que sim para todas as perguntas da livraria. Eles vão cadastrar sua obra e ela vai aparecer no site deles, no mecanismo de busca. Quando alguém clicar ali para comprar, a livraria vai entrar em contato com você e solicitar que envie um exemplar.
  • Cada livraria trabalha de um jeito quando o assunto é valor. Uma coisa justa é que eles fiquem com 50% do valor de capa (aquele que o leitor paga). Portanto, se seu livro foi vendido a R$ 100, você fica com R$ 50. Se as pessoas gostarem de seu livro e ele fizer sucesso, os exemplares que você editou/imprimiu serão todos vendidos. Dessa forma, com um livro bom e que vende, todo o investimento que você fez na etapa 2 retorna e ainda garante uma segunda edição ou outro livro.

    Existem outros meios de publicar seu livro, porém eles são variações dos temas acima.

    Espero ter ajudado a desmistificar algumas ilusões e mostrado que sem suor não existe vitória. O importante é não desistir nunca. Quero ver muita gente escrevendo, publicando e mostrando que há obras legais em nosso país!

 

*Esse post não define a opinião da Jukatita e foi escrito por um autor independente

Comentários

Comentários